A Raça

A fundação dos Herd-Books pelo mundo

Estados Unidos
1871
Holanda
1874
Alemanha
1876
Dinamarca
1881
Canada
1884
Gran-Bretanha/Irlanda
1909
Nova Zelandia
1910
Japão
1911
Africa do Sul
1912
Austrália
1914
Argentina
1919
França
1922
Israel
1926
Espanha
1928
Brasil
1934
Itália
1945
Kênia
1946
Portugal/México
1959
Coréia do Sul
1966
DESCRIÇÃO DO FENÓTIPO
  • Malhadas de preto-branco ou vermelho-branco; ventre e vassoura da cauda branca; barbela e umbigueira pouco pronunciado, tamanho da vulva discreta e não pregueada; animal não totalmente preto e nem totalmente branco.
  • Cabeça bem moldada, altivo, fronte ampla e moderadamente côncava, chanfro reto, focinho amplo com narinas bem abertas, mandíbulas fortes que exprimem o estilo imponente e vivacidade própria da Raça;
  • Pescoço longo e delgado que se une suavemente na linha superior ao ombro refinado e cruz angulosa e as vértebras dorsais que se sobressaem e inferiormente ao largo peito com grande capacidade circulatório e respiratório;
  • Dorso reto, forte e linha lombo-dorsal levemente ascendente no sentido da cabeça;
  • Garupa comprida, larga e ligeiramente desnivelada no sentido quadril a ponta da nádega;
  • Coxas retas, delgadas e ligeiramente côncavas, bem separadas entre si, cedendo amplo lugar para o úbere simétrico, largura e profundidade moderado e fortemente inserido ao abdomen e na base do osso da bacia;
  • Pernas com ossatura limpa, chata e de movimentos funcionais que termina em patas de quartelas fortes e cascos bem torneados;
  • Pele fina e pregueada e pêlo fino e macio
REPRODUÇÃO
  • Idade para a primeira cobertura: 16 a 18 meses;
  • Idade para o primeiro parto: 25 a 27 meses;
  • Duração da gestação: 261 dias a 293 dias( média de 280 dias);
  • Intervalo entre partos: 15 a 17 meses;
CRUZAMENTOS

Os principais cruzamentos são com a raça Gir, formando o Girolando, e com o Guzerá, formando o Guzolando (ou Guzerando), ambos com livro de Registro Genealógico.

Desde 1991, todo o gado holandês é registrado desde o nascimento. A pecuária de gado holandês para carne, com novilhos precoces, caminha aceleradamente desde a década de 1970. Já na década de 1980 foi estabelecido um programa alternativo de cruzamentos com raças especializadas de corte, destacando-se o Charolês, o Limousin, o Piemontês, o Bleu – Blanc Belge, e outras, para incrementar o rendimento de carne, promovendo o surgimento de linhagens de melhor rendimento no abate. Esta é a grande novidade científica da virada do milênio, que pode revolucionar a pecuária mundial. Assim como o Holandês revolucionou a pecuária leiteira, essa alternativa “carne leite” pode provocar uma segunda revolução