EXPOFEIRA DE TRÊS DE MAIO

A XV Expofeira do Agronegócio recebeu excelente feedback dos profissionais ligados às áreas do gado de leite e de corte pelos eventos morfológico e leiteiro que integraram sua programação. Darci Bittencourt, pesquisador da Embrapa Clima Temperado de Pelotas, Roberto Nardi, médico veterinário da Associação de Criadores de Gado Jersey (Jersey Brasil) e Rubimar Franco, médico veterinário integrante do Conselho Técnico e Inspetor Técnico da Associação dos Criadores de Gado Holandês do RS (Gadolando), destacam a qualidade genética dos animais e a excelência dos profissionais que preparam a apresentação do gado, colocando o evento realizado em Três de Maio no mesmo nível dos tradicionais e consagrados concursos do Estado, como a Fenasul e a Expointer. Integraram a programação da XV Expofeira o Concurso Leiteiro, o Concurso Morfológico e o Grande Campeonato das raças Jersey e Holandesa. Os concursos distribuíram mais de R$ 50 mil em prêmios. “Apenas para destacar o valor significativo distribuído entre os competidores, um produtor da raça Jersey ganhou R$ 12 mil, enquanto outro, da Holandesa, ficou com mais de R$ 10 mil”, destaca Nardi, que atuou como jurado de admissão e na coordenação geral a exposição. Disputa acirrada Nardi ressalta que houve uma evolução muito grande na área de genética na raça Jersey.

Foram oito criadores expondo, 82 animais inscritos e 61 em pista. Foi uma disputa bem acirrada que valorizou o morfológico, em que avaliamos o animal como um todo. Acompanhei o jurado e ele exaltou que a qualidade dos animais em pista não desmerece o evento de Três de Maio perante qualquer exposição de fora do país. Sabemos que temos condições de, em algum tempo, ter uma etapa Nacional em Três de Maio, através da Associação Brasileira de Criadores de Gado Jersey. Assim, teremos mais de 100 animais em pista e 120 ou mais no concurso leiteiro”, projeta. O médico veterinário explica que foram 16 animais concorrendo no concurso leiteiro da raça Jersey. “Hoje, em termos de produção, estamos perto do que produziu a raça Holandesa na feira. É uma honra estarmos com tão bons animais.

Com essa produção de leite, pode-se dizer que a Jersey cresceu muito. No concurso, é feita uma esgota, oito horas depois ocorre a primeira ordenha, seguida de outras duas, sempre com intervalos de oito horas. Em 24 horas um animal de mais de 36 meses produziu 50,940 litros e o outro, abaixo de 36 meses, 42,200 litros, cada um vencendo em sua categoria. Os visitantes estão impressionados com a quantidade de leite produzida por uma Jersey, mas para nós isso se resume a melhoramento genético”, complementa Nardi. Apaixonados pela exposição Bittencourt destaca que é a sexta vez que vem ao evento junto a colegas da Embrapa Clima Temperado. “Viemos uma vez a convite e nos apaixonamos pela exposição. Este é o melhor espaço de exposição do interior do Estado, amplo e situado de forma a fazer com que as pessoas tenham convivência integrativa, participativa, de amizade e de troca de experiências. É uma competição sadia. Além disso, é uma oportunidade excelente para que as pessoas tomem contato com a genética das raças Holandês e Jersey, pois em Três de Maio vemos que a cada ano a genética, a qualidade e a apresentação dos animais têm sido melhores, demonstrando que há evolução em todas as áreas, inclusive no profissionalismo dos profissionais que trabalham nesta área”, ressalta. O pesquisador aponta as exposições da Expofeira como um espaço não apenas de troca de experiências, mas também do exemplo demonstrado de que os produtores e as raças estão evoluindo. “Isso pode ser levado também às demais propriedades.

É um desafio ao produtor que se aprimore, melhore e consiga oferecer excelência naquilo que faz. O concurso leiteiro, por exemplo, é importante porque cria o aspecto da competição, muito valorizada entre as pessoas que trabalham com a raça. Você estimula fazer com que essa vaca produza cada vez mais, o que traz melhoria de renda à unidade de produção. Se seu rebanho produz mais, sua renda aumenta e produtor tem situação melhor de vida. Isso gera repercussão política e social, pois com uma melhor produção há renda melhor, o produtor gasta mais, o município movimenta sua economia e o dinheiro circula, gerando avanço e melhoria à região”, conclui Bittencourt.

Expositores são expoentes no Estado Franco aponta a qualidade do concurso leiteiro realizado junto à Expofeira. “Os resultados, em termos de volume que foram apresentados, são tão bons ou melhores do que alcançados em uma Fenasul ou até mesmo em uma Expointer. É muito boa a qualidade dos animais, da produção e do trabalho desenvolvido aqui. A importância destes eventos também referem-se ao fato de que os resultados vão contar pontos para esses animais e esses produtores na Fenasul e na Expointer, que oferecem grandes premiações que geram grande valor econômico e valorização do animal. Para ocorrer essa pontuação é necessário que a feira seja ranqueada, com um mínimo de cinco produtores diferentes e um mínimo de 50 animais desfilando nas pistas. Hoje os eventos junto à Expofeira têm essa condição, o que certifica ainda mais sua importância no Estado”, destaca. O médico-veterinário aponta que o resultado do concurso na raça Holandesa envolve cinco ordenhas, com as duas maiores descartadas. “Isso ocorre pois na raça Holandesa os animais apresentam uma uniformidade de produção, e é o que desejamos na produção. Os produtores expondo em Três de Maio são expoentes no Estado, com animais de alta qualidade, os mesmos que expõem nas outras feiras. Reunir esses produtores de diversos locais e alto potencial genético dos animais é ímpar em termos de exposições. Ressaltamos a importância destes eventos continuarem sendo realizados, pois há um belo futuro como exposição”, conclui Franco.

 

Clique aqui para conferir os resultados

 

Fonte: Imprensa Expofeira

EXPOFEIRA DE TRÊS DE MAIO

5 de maio de 2017